sexta-feira, 11 de março de 2011

Chevrolet Veraneio 1967 Marrom

                         Meus amigos e seguidores, só um comentário rápido a respeito do blog: Sabem quantas visitas o blog teve nos últimos trinta dias ?? 6742 acessos!!! Isto dá uma média de 225 visitas diárias ao blog.  E a última postagem, do Charger bege/marrom, bateu recorde de comentários. Quase não acredito que o blog possa agradar tanto vocês! Estou impressionado! O problema todo que isto acarreta é a grande responsabilidade que me pesa para contar boas histórias, tentando ser cada vez melhor! Espero poder chegar até o fim correspondendo as expectativas de vocês.  Obrigado e abraços a todos!!
                          Dos inúmeros comentários da postagem anterior, Charger Bege/marrom, todos, sem excessão, comentaram sobre a última parte, do acidente com o Dodge. Mas quero lhes dizer, que para mim, a parte mais bonita e sentimental é quando escrevi da minha amizade com o amigo Darcy Ferrari. Escrevi aquelas linhas com muito sentimento, abri meu coração para as lembranças do velho amigo! Até entendo, pois vocês querem ler a respeito de Dodge e não balélas de antigamente, mas eu sou muito nostálgico, eu vivo diariamente pensando nos amigos e causos do passado! De qualquer forma agradeço a todos vocês.  Acho eu, que para quem esreve um livro ou blog , que seja, a recompensa maior são os comentários, as críticas dos leitores, e neste ponto, estou sendo bem recompensado!  
                         Outra coisa, o amigo Tricky que tem o blog com o link http://chryslerdobrasil.blogspot.com/ me pediu, por favor, para que olhem o blog dele. Então se tiverem um tempinho olhem. Não acredito que meu blog seja um parâmetro para outros blogs ou mesmo uma fonte de propaganda, mas em todo caso, está aí o comercial que o Tricky me pediu.
                        Tricky! Não te preocupas com a quantidade de leitores ou visitantes. Primeiramente escreve pensando que o teu blog é feito exclusivamente para ti, te preocupando com a qualidade das postagens. O que tu escreves tem de ser primeiramente agradável a tua pessoa. O resto vem naturalmente. Abraço

                          Entre uma postagem e outra, seguidamente vou lembrando de causos com algum carro que já postei aqui neste blog e esqueci de mencionar. Semana passada, enquanto tentava relembrar algo relevante desta Veraneio, lembrei de coisas bem interessantes do meu primeiro Dodge, aquele Dart sedan marrom ano 1975, postado lá no início do blog. Este da foto abaixo!! Fatos que conto a seguir:
Notem que não tem  o vidro vigia.
                              No final dos anos setenta e início e dos oitenta, seguidamente eu e meus amigos procuravamos Dodges nos desmanches de carros. Eramos verdadeiros ratos de ferro-velho. Certo dia, de passagem pela cidade de Gravataí-RS, vimos o Dodge Sedan atirado e paramos para ver o preço. O dono do ferro velho pedia CR$100.000,00 (tenho anotado esta cifra) Como eramos de 5 amigos,(eu, Alnei, Eraldo, Ganso, Tiago) daria CR$20.000,00 para cada um. Eu não tinha "um mil réis" na carteira, acho que nem carteira eu tinha! Bom... olhamos detalhadamente o Dart, todos nós ficamos loucos para compra-lo. Como o carro não tinha o vidro vigia, lembro que saía mato pelos buracos dos alto falantes traseiros. Mas o dono do ferro-velho fez ele funcionar e pegou de primeira, ficando em marcha lenta.
                              Então... combinamos de ir buscar o carro no sábado seguinte. No dia marcado, tipo 7:30hr, meus amigos passaram lá em casa para me pegar e contavam com  minha parte no dinheiro. Bueno, quando vi eles encostarem na frente de casa, corri no meu pai e lhe pedi que me desse uns pilas para comprar um perfume de aniversário para uma amiga. Meu pai abriu a carteira e me deu  CR$50.000,00! Acredito que este valor hoje seria de R$100,00 não mais do que isto!! Dodge não valia nada, ainda mais que este estava em um ferro-velho!!!
                               Não podia dizer, de maneira nenhuma, que seria para comprar um carro de ferro-velho, se falasse isto era capaz até de levar uma bela surra! Chegamos lá e fomos fazer o lavantamento do dinheiro. Com a minha parte, que foi 50mil, lavantamos CR$90.000,00! Tivemos que pechinchar bastante, mas deu certo, o sujeito vendeu pelo que tinhamos. Só que o carro não tinha o vidro vigia, então pedimos ao homem para nos dar um vidro incluido, nada feito, pediu mais R$5000,00. Nós não tinhamos mais nada, então o carro ficou sem o vidro vigia.
                              A minha ansiedade era muito grande, lembro como se fosse hoje o que eu senti naquele dia. Eu iria comprar o meu primeiro carro, e bem diferente da grande maioria de jovens deste imenso Brasil. Iria comprar um Dodge e não um Fuca! Quase cem por cento dos caras que conheço tiveram um Fuca como seu primeiro carro.
                             Bom, compramos o Dodge e viemos praticamente até Taquara com ele sendo rebocado por uma Toyota Bandeirantes, que pertencia a Fábrica de Máquinas Max Badermann, do pai do meu amigo Alnei. A alegria desta viagem não se pode descrever. Infelizmente não tem como colocar no papel a satisfação de estar comprando um carro como um Dodge, e principalmente, de estar na companhia maravilhosa de amigos tão unidos como nós eramos. O que posso dizer é que poucas vezes na vida senti algo parecido. Com toda certeza, as emoções que a gente sente por um ato, seja ele qual for, são bem maiores quando se é novo! Depois a vida vai,  pouco a pouco,  não sendo mais tão novidade.
                            Tinhamos combinado que a entrada na cidade teria que ser triunfal, majestosa!!! Portanto queriamos chegar em Taquara com o carro andando, então quando faltavam poucos quilometros para chegar, paramos e desatrelamos o Dodge da Toyota.
                             Lá no ferro-velho, nós tinhamos usado o reservatório de água do limpador de para brisa para colocar gasolina dentro. Usamos este reservatório como tanque!!!!! Pois nós não tinhamos dinheiro para gasolina, tinhamos levado junto algo em torno de 10litros de gasolina.  Se a gente colocasse pouco combustível no tanque, a bomba talvez não iria puxar e também não saberiamos exatamente o quanto de gasosa nós tinhamos!
                             Então a capacidade do nosso novo tanque era de 1,7litro. !!! Bom, enchemos o reservatório umas cinco vezes antes de entramos em Taquara. Lembro da frase que falamos ao entramos na cidade: -"Somos proprietários de um Dodge Dart!!"
                              Ao chegar no centro da cidade, desfilamos pela rua principal e depois levamos o dodge direto para dentro dos pavilhões da Max Badermann e começamos um trabalho intenso e frenético:

Rua Bento Gonçalves, centro de Taquara.  Foto atual da antiga e extinta Fábrica de máquinas Max Badermann. Pena que a fachada da fábrica foi tapada.
                                                        -Primeira coisa foi colocar um cano reto ao lado da porta (sem abafador).
                                                       -Depois praticamente tiramos os parafusos de regulagem da altura da suspensão dianteira, a frente do carro arrastava em uma latinha de cerveja.
                                                       -Tiramos os jumelos origiais dos feixes das molas traseiras e colocamos uns bem maiores. A traseira do carro ficou super alta, e a dianteira arrastando no chão!
                                                        -Pintamos todos os cromados do carro de preto fosco, inclusive os para choques.
                                                       -Colocamos umas telas???, (meu santo Deus!!!) pintadas em preto fosco também, na frente dos faróis.
                                                      -Fizemos um furo de aproximadamente 10x10cm no assoalho, logo atrás do banco dianteiro, onde enfiavamos uma barra de ferro. Quando o Dodge estava em movimento, nós enfiavamos a barra de ferro pelo furo até ela encostar no asfalto, a barra era segurada e escorada no banco dianteiro (formava uma alavanca) O efeito é pura loucura! Sai até labaredas de fogo! Mas tem que ser à noite. O visual de quem olha de fora é  s  e  n  s  a  c  i  o  n  a  l !!
                                                       -E mais algumas coisas que não lembro. Mas e o tanque de gasolina? Ficou o reservatório do limpador!! Fica quieto!!
                                       Nós ficavamos quase todos os dias, até de madrugada dentro da fábrica. Mexiamos nos tornos, ferramentas, guinchos, em tudo. Várias vezes levamos xingões do seu Harri, pai do Alnei, por deixarmos a fábrica uma bagunça. Os funcionários chegavam de manhã e não encontravam as coisas em seus lugares.
                                      Um dia o Alnei ganhou um Kart de presente, mudamos de lugar várias máquinas e tornos para improvisar uma pista de corridas lá dentro. Até o dia em que os vizinhos fizeram um abaixo assinado e entregaram na prefeitura, pela lei do silêncio. A fábrica trabalhava o dia inteiro com os funcionarios e a noite inteira com nós lá dentro. Era um paraiso pra nós. Fomos obrigados a não fazer barulho depois das 23Hr.
                                   Uma das coisas que eu não consigo esquecer desta época foi quando criamos um torneio com este dodge. Quem conseguia dar a volta mais rápida na quadra onde ficava a Fábrica (Max Badermann). Minha gente, esta quadra fica bem no centro de Taquara! Até mesmo  naquela época tinha movimento. E o torneio era durante o dia! Durante a semana!  Lembro que as pessoas que trabalhavam nos comércios, ficavam olhando aquele Dodge entrar de lado nas esquinas, patinando como um louco. Como não mandaram nos prender??? Outros tempos!!
A Fábrica ficava extamente no meio desta quadra, onde estão aqueles carros parados, só que no lado direito da foto. Exato ponto de largada da prova. Depois de dada a largada, logo em seguida, entravamos nesta esquina, rua Guilherme Lahm, quase em duas rodas. Logo em seguida na proxima esquina entravamos na 17 de Junho, depois na  Marechal Floriano e por fim entravamos novamente na Bento Gonçalves. Com certeza nestas ruas nunca mais vai acontecer fato semelhante.  
                                   Outra lembrança deliciosa eram os domingos a noite. Em Taquara havia um cinema (Cine Cruzeiro), ficava na RS020. Esta estrada corta Taquara e vai a São Francisco de Paula. Nas noites de domingo a sessão do cinema começava as 20:30hr e terminava 22:30hr. Toda população jovem de Taquara ía ao cinema domingo!!! Era como se fosse hoje um postinho de conveniências. Lá pelas 20hr se formavam filas enormes de pessoas na bilheteria, todos aguardando a entrada no cinema. Isto era sagrado , todos os domingos. Então lá pelas 20hr nos passavamos de Dodge na frente do cinema. Imaginem a cena! No banco da frente dois sentados, e atrás, como não tinha o vidro vigia, tres sentados em cima da tampa do porta malas, com as pernas e pés em cima do banco traseiro, com as mãos batendo no teto!
Predio da antiga churrascaria Cruzeiro e ao lado o Cine Cruzeiro com hotel em cima. Pertencia a mesma pessoa 

 Estrada RS20. Ao lado do cinema, mas no mesmo prédio, funcionava uma churrascaria, que fechou suas portas bem antes do cinema. Muito espeto corrido comi lá quando criança. Olhando esta foto lembro do Dart passando nos domingos a noite!
                                   E o show era sempre com o pé no fundo, farois apagados e com o ferro enfiado no assoalho traseiro, encostando no asfalto! As faiscas voavam a metros de distância na escuridão da noite! As pessoas achavam que o Dodge estava pegando fogo. Tudo isto somado ao barulhão do V8 com cano reto! Imaginem o Dodge: sem abafador, super rebaixado na dianteira, alto na traseira, sem farol e todo preto fosco, saindo fogo por baixo!!! Era de assustar!! As mães recolhiam suas crianças das calçadas!! Cena do Mad Max!!
                                    Esta cena ficou tão conhecida que tinha gente que ia para a frente do cinema só pra ver o dodge passar!  E lá pelas 22hr nós ficávamos espreitando a saída do cinema, quando dava a largada da "boiada", faziamos um novo espetáculo!
                                    E quando certa madrugada fomos com o Dart até a cidade de Igrejinha, queríamos viajar com ele!! Imaginem, Igrejinha fica a 6km de Taquara! Bota viagem nisso!!  Colocamos gasolina umas dez vezes do reservatório do limpador! Andamos pelo centro inteiro da cidade naquela madrugada, sozinhos, não havia viva alma nas ruas. Só o que se ouvia eram nossas conversas e o ronco do V oitão, com cano reto, na lenta: glugluglugluglu... Quando estávamos na saída da cidade, cruzamos por um brigadiano parado em uma esquina. Nós gelamos, se fossemos atacados naquela época, sem documentos do carro e com um carro naquela estado. Xilindró!!
                                    Algum tempo depois compramos o Impala e abandonamos o Dodge. Ele ficou por meses atirado no pátio ao lado da Fábrica.

Neste local, é que o Dart ficou nos últimos dias de vida dele, Fica entre os dois prédios da Fábrica. Pena não te-lo resgatado em tempo
                               Quando falaram em vende-lo para um ferro-velho, fui lá para leva-lo para minha casa. Queria guarda-lo para recordação em um canto do pátio. Mas o destino tinha outros planos para o Dart Sedan. Quando cheguei para leva-lo, o guincho do ferro-velho já estava saindo com ele engatado na traseira.

                                               Muitos anos depois... Veraneio 1967
                             Nesta época, quando eu não estava pensando em Dodge, pensava em caçar e pescar. Um certo dia reunidos, eu, meu irmão e meu amigo Dinho, chegamos a conclusão de que teriamos que comprar um carro, especialmente para nossas caçadas.  Um carro que fosse grande o bastante para levar nossas tralhas, forte para passar por obstáculos quase que intransponiveis e que tivesse uma manutenção barata. Como eu já tivera uma Veraneio, batí nesta técla. Mas os outros cogitaram também outros carros, como a Rural ou uma pick-up F-75. Mas para ser sincero  eu nunca levei muita fé nos motores dos dois veículos citados. Então, depois de um pequeno debate, por unanimidade a Veraneio venceu  a concorrência.
                              Bom , a primeira coisa a fazer era achar a Veraneio, e depois de acha-la, ter dinheiro para compra-la. Um problema menor, que era a Veraneio em sí, e um problemão que era o dinheiro!
                              Passaram-se alguns dias e depois de várias Veraneios vistas, cuncluímos que não tinhamos dinheiro para comprar. Teriamos que abandonar, ou pelo menos adiar, o projeto. Ou então achar uma que estivesse abandonada, fora de uso! E foi o que aconteceu.
Estacionada em frente a casa dos meus pais. Esperando uma aventura, que nunca veio!
                                 Passou algum tempo e encontramos uma abandonada, o produto se enquadrava totalmente dentro do nosso padrão financeiro!
                                 Fomos até a casa onde a belezinha estava e logo entramos em acordo com o proprietário, acho até que ele comeu um bom churrasco por nossa conta naquele dia. Depois do contrato de compra firmado e pago, começaram as pendengas. Primeiro foi tentar fazer com que a Veraneio saísse do lugar! Não pegava de jeito nenhum, então acabamos rebocando ela para a minha oficina.
                                  Depois de alguns dias, terminado outros serviços que eu tinha na oficina, me doei inteiramente a perua. A primeira descoberta desanimadora foi no motor, estava oco. Éra mais solto do que peido em bombacha!!. Foi um balde de água fria em cima dos nossos sonhos.
Até que não era tão ruim, o problema todo era o coração da coitada! Em frente a ela, o cantinho de um outro Galaxie que tive.
                              Passaram-se alguns meses sem que eu tivesse vontade de colocar a mão na coitada. Meu irmão e o meu amigo Dinho já haviam desistido de arruma-la. Nós iriamos gastar um bom dinheiro para reformar o motor, depois suspensão, caixa, diferencial. Lata nem se fala. Era mais fácil comprar um carro pronto. O sonho acabou!!!!
                               Seguidamente eu ia  a cidade de Três Coroas, dar uma olhada no ferro-velho do Turco.  Era muito grande, tinha muito carro antigo e o ferro-velho era bem antigo também, tinham muitos dodges desmanchados lá. Verdadeiro cemitério de Galaxies,  Dodges e outras tantas raridades! Tinham tantos carros naquele lugar, que em certos pontos o mato crescia por cima dos carros, era bonito e triste ao mesmo tempo.
                               Algum tempo depois, estava eu indo de bicicleta ao Ferro-velho doTurco, (de Taquara a Três Coroas 25km), quando chegando a cidade, encontrei um Charger R/T 1975 amarelo Montego encostado na beira da estrada (RS115).

Foto meramente ilustrativa, mas o carro era idêntico a este!! Claro que não tão novo como este, tinha a pintura um pouco gasta, mas muito orignal
                           O carro era totalmente original, e quando digo totalmente, era mesmo! Tinha as faixas laterais, calotinhas do R/T, frisos completos, vinil, letreiros, os bancos de couro originais, tudo! Tudo!! Tenho a foto dele muito viva na minha lembrança. Se achasse hoje em dia um carro assim ficava louco!
                            Bom, tinha uma casa quase em frente, uns 300m, fui lá e perguntei a respeito do carro. Uma senhora me atendeu e me disse que passados alguns dias, este carro teve uma pane mecânica e o dono o deixou alí. O dono disse a ela que era da cidade de Novo Hamburgo-RS e estava em viagem a Gramado-RS e que o carro estragou. Que ela desse uma reparada no carro para ele por algum tempo, depois ele viria buscar. O carro ficou meses no mesmo lugar! Voltei a falar com a mulher e ela disse que o dono nunca mais tinha dado notícias.
                                Algum tempo depois passei novamente por lá e não vi mais o carro. Fui até o ferro-velho do Turco e tive uma infeliz surpresa. O Charger estava empilhado em cima de uns três carros. Cheio de amassados por todos os cantos.
                                Foi aí que vi um outro Charger, que havia recem chegado ao ferro velho para ser desmanchado. Já não tinha mais a coroa e pinhão do diferencial, mas o resto estava completo. Um Charger R/T 1977 Vermelho Riviera.
                                 Prontamente adentrei no estabelecimento comercial e falei com o proprietário, sr. Turco.
                      -É de venda este Dodge vermelho? Perguntei.
                     - Ele: Sim!
                     - O sr. aceita troca em uma Veraneio? Está funcionando, trago ela aqui rodando!!
                      -Ele me disse: Olha , eu não gosto de trocar coisas! Gosto de vender e comprar! Mas em todo caso, o que posso fazer é trocar taco a taco! Não te dou volta nenhuma!!! Isto se ela chegar aqui rodando!
                                Era só o que eu queria ouvir!!! Ele achando que estava fazendo um grande negócio e eu um negócio melhor ainda.
                       Disse a ele que a Veraneio estaria lá no outro dia, bem cedo da manhã. Só que com uma condição, eu queria que ele levasse o Dodge a Taquara com o guincho de graça, já que o mesmo não tinha mais o diferencial fechado. Ele concordou.
                        No outro dia foi um sufoco levar a Veraneio até lá, mas a coitadinha chegou e fizemos o negócio.
                        Mas esta história fica mais pra fente, pois tem outros carros que comprei antes.
                        Na próxima postagem falo sobre um Magnum 1979 branco Ártico      

52 comentários:

  1. Mutio massa Cuti! De vez em quando acontece de alguém andar com o carro "em cacarecos" e de repente o para-choque cai e faz coisa parecida...
    Alem de tudo, mutio obigado de fazer anuncio do meu Blog. Se pudesse te agradeceria pessoalmente. Valeu aí.

    Abraços do, Tricky!

    ResponderExcluir
  2. Falou Tricky, se precisar estou as órdens. Abração

    ResponderExcluir
  3. Cara, a do buraco no chão do dodge foi "Punk"...
    A Pista de Kart então nem se fala...
    E vem cá, revela pra nós quem tinha a volta mais rápida na quadra, hahahaha, essa matou a pau!?
    Que época hein, saia-se para andar de bicileta e de quebra arrematava-se um Dodge.

    ResponderExcluir
  4. Jacson, não lembro quem dava a volta mais rápida, mas acho que este detalhe hoje é irrelevanta, não achas? É cara, que época! Por isto que eu vivo sonhando por aí! Hahahaha
    Abração Cuti

    ResponderExcluir
  5. Cara, tenho 17 anos e viajo nas tuas histórias. Ler essas tuas belas lembranças lembra muito, muito mesmo meu finado pai que tinha umas oficinas e era um apaixonado por carros também. Parece tanto que as vezes acho que é ele relembrando as historias que contava pra mim quando pequeno. Eu pirava ouvindo ele falar sobre aqueles Dodges, Opalas e as besteiras que ele fazia quando mais novo. Infelizmente o destino nos prega algumas peças mas a vida continua. Quem sabe um dia quando tiver meu Dojao também agente possa se encontrar e trocar algumas ideias hehehe... De coração, muito obrigado por dividir tuas lembranças e sentimentos conosco e pareabéns pelo blog!
    Abraço Marcos

    ResponderExcluir
  6. Marcos! Fico muito feliz em saber que tu lembra do teu pai lendo minhas historias. Mas tu não precisas ter um Dodge para nos encontrarmos e trocar algumas idéias. Acho que o fundamento está na amizade, os carroas são apenas o complemento. Eu é que agradeço a visita e o comentário. Abração
    Cuti

    ResponderExcluir
  7. Boa Cuti... pode ter certeza que dos 6742 acessos, muitos foram meus, entro diariamente umas 3 vezes pra ver se tem post novo...rs Pra voce ver como nossos carros eram desvalorizados antes, em 1992 tinha 15 anos e ganhei uma Mobilette Caloi zero do meu pai, tinha um amigo meu que possuia um Dodge Charger R/T amarelo impecavel (pelo que me lembro devia ser 74 ou 75) e quando me viu com a motinha ficou doido, e queria de toda forma trocar comigo "na oreia" como diz aqui no interior de SP, eu fiquei doente, mas meu pai disse que me deserdava se eu fizesse o negócio, me arrependo amargamente até hoje. Hoje o carro compraria umas 30 mobiletes e ainda sobraria muita grana. Parabéns pelo seu blog, sou um assiduo frequentador e viajo assim como voce nas historias que fizemos quando mais jovens.
    P.s.: Hoje sou um feliz proprietário de um Dodge Dart Luxo 1972

    ResponderExcluir
  8. Cuti, pode ter certeza que este número de visitas se deve a excelencia das histórias e de sua capacidade de transponer-las ao blog com tanto sentimento e sinceridade !!! Cara, é impossível acessar a internet sem dar uma passada pelo blog pra ver se tem novidade !!! Ontem a noite como ja faziam alguns dias desde a postagem do RT 79, fiquei dando refresh no browser na sua página a noite toda pra ver se chegava algo novo !! kkkkkkk !!! Essa história em especial me agradou muitíssimo !!! Primeiro pela união entre vc e seus amigos quando o assunto era dodge, e segundo por falar dos dois dodges que mais sonho em ter um dia, RT 75 amarelo montego e 77 vermelho riviera... fiquei pelo menos uns 10 minutos imaginando esse RT 75 na estrada e mais uns 15 vendo a foto ilustrativa que vc postou !! hahahaha !!!
    Mais uma vez obrigado por compartilhar tudo isso com a gente !!

    Abraços de Santo André

    Edu Coxinha

    ResponderExcluir
  9. Binho. Cara, to rindo muito com o papo do teu pai de te deserdar, mas acho que se fosse hoje ele te obrigaria a fazer a troca! Obrigado pelas centenas de visitas e parabéns pelo Dodge 72. Abração

    Edu Coxinha. Cara, vocês adoram as postagens e eu adoro os comentários. OBRIGADO!! Em uma proxima postagem vou ontar mais detalhadamente a minha turma do V8. Abração

    ResponderExcluir
  10. Grande Cuti!

    Cara o título desta postagem esta errado.
    Deveria ser MEU PRIMEIRO DODGE DART E AS LOUCAS AVENTURAS PELA CIDADE DE TAQUARA.
    Pois a Veraneio foi apenas uma desculpa que você arranjou para contar mais uma história sobre Dodge.
    O número de visitas do seu blog é a soma de fotos inéditas e suas grandes histórias.
    Faço do comentário do amigo Eduardo logo acima ou meu também.
    Pois várias vezes até a hora de eu ir dormir acesso o blog para ver se alguma postagem nova foi feita.
    Mudando de assunto agora.
    O pai desse seu amigo, o dono da fábrica deveria adorar ver a cara dessa quadrilha aí né?
    Forte abraço Cuti!

    Continue nos brindando com estas pérolas literárias.

    Att: Mauricio

    http://showroomimagensdopassado.blogspot.com/
    Um forte abraço Cuti!
    Continue nos brindando com estas pérolas

    ResponderExcluir
  11. Prezado Maurício. Olha cara, eu também adoro contar as histórias dos dodges. Mas como estou contando por ordem de compra dos meus carros, esta foi a vez da Veraneio. Olha pelo lado positivo, se eu não contasse a história dela(Veraneio) não chegaria depois ao charger 77 vermelho riviera. A respeito do seu Hari, pai do meu amigo, posso dizer com certeza, era um cara sensacional. Infelizmente já partiu desta.Muitíssimo obrigado pelo comentário. Abração Cuti

    ResponderExcluir
  12. Maurício, A propósito: ADOREI O TÍTULO QUE TU DARIA PARA A POSTAGEM. Abraço

    ResponderExcluir
  13. Cuti, li só o começo, e resolvi logo comentar antes de ler tudo. Depois comento o resto. Primeiro, o que gosto no seu Blog são as histórias da época, das pessoas, e nisso pensamos igual. no meu recém inaugurado blog (influenciado muito pelo teu!) comento coisas pouco interessantes para quem não me conhece ou não sabe do contesto. Fiz para os meus amigos, irmão, mulher e meus queridos pais. Suas histórias são muito boas e muito bem narradas, o que torna um novo post algo esperado a semana toda! E os carros por si só não representam nada sem as pessoas. São apenas objetos. Com as pessoas, passam a ser lembranças legais! Meu amigo, minha mãe achou meu blog hoje e me ligou, muito contente! Foi um barato! E agradeço as tuas visitas e comentários!

    Um grande abraço ! Vital

    ResponderExcluir
  14. Caro Cuti, morei em Taquara até 1983, e me lembro da sua turma, encontrei seu blog e achei sensacional suas narrativas sobre seus carros. Um grande abraço e parabéns pelo número de acessos do blog que com certeza continuara a crescer.

    ResponderExcluir
  15. Pois é!! tava aqui pensando:
    desde pequeno quero ter um rt, infelismente vou ter que adiar mais uns 5 anos.
    Tive 3 dodges até hoje, o primeiro rachou ao meio quando desceu do guincho.
    O segundo tinha o vira quebrado e nem documento tinha( meu deus). A principio tinha grande esperança que esses carros um dia rodariam mais.......paciência.
    E por fim meu dart 74, Alguns torcem o nariz quando veem, mais deixa pra lá, já ta rodando com documentação em dia mais a funilaria.... aiai....
    Já faz uns 6 anos que to na correria em busca de peças ou um RT, afinal as coisas só melhoraram pra mim a partir dai, perdi as contas das presepadas, e o mais importante dos amigos que fiz!
    Quer combinação melhor? dodge , amigos e presepadas!!!KKKKKKKKKK!!!
    Pra mim os três sempre vão estar juntos senão não tem sentido!!!!
    Até mais!!!!!!!

    ResponderExcluir
  16. Paulo, lembra da turma?? Que jóia!! Será que eu lembro de ti?? O nde tu morava aqui em Taquara? Obrigado pela visita e comentário. Continua visitando o blog, abração Cuti

    Fabrício(Dart 74 preto onix) Cara, os dodges estão cada vez mais difíceis mesmo, mas tem que continuar tentando. Quanto ao teu Dart, tu é que deve torcer o nariz para eles. Tu tem que ver a C10 que eu ando diariamente. Isto é uma questão de personalidade!! Cara, amigo é tudo nesta vida. Abração

    Vital. Gosto de responder a todos os comentários.Li o teu várias vezes,não acho palavras para te responder a altura do que escreveste. Obrigado!!

    ResponderExcluir
  17. Olá Cuti, morava na Marechal Floriano, ao lado da Padaria Comercial, por sinal bem perto da fábrica Max Badermann. Ainda tenho familiares em Taquara e por coincidencia minha irmã Regina é muito amiga da sua esposa. Um abração.

    ResponderExcluir
  18. Fala Cuti!!

    Os leitores certamente chegaram aqui por causa do amor aos Dodges, mas tenha certeza que as histórias relacionadas narradas por ti e a informalidade com a qual são contadas, aqui em frente ao computador parece que estamos todos em um bate papo animado regados a um belo churrasco e cerveja gelada!

    Grande abraço
    Edu Martins

    ResponderExcluir
  19. Cuti, que final para o Dart 75! Esses carros 4p foram mais destroçados que os 2p, e são muito bons de se dirigir! E a farra com os amigos não tem preço, lembro com saudades desta fase! Quando tinha 15 anos quase compramos um Jeep Willys com motor de Maverick, mas meu pai vetou.
    Quanto à Veraneio, alguns carros são tão mal cuidados que fica impossível resgata-los, passei por isso com um Landau 82, pior compra que fiz. E pior venda também.

    Vou colocar um post dele no meu blog qualquer dia destes.

    abraços!

    ResponderExcluir
  20. Paulo, descubri quem tu é!! Pingo, irmão da Regina Müller. Abraço

    ResponderExcluir
  21. Edu Martins. Cara , quem sabe um dia vamos promover este encontro que tu falou??? Eu acharia ótimo tomar umas geladas com os amigo e comer aquela carne.Abração

    ResponderExcluir
  22. Fala Cuti!!

    Seria um prazer gastar algum tempo com churrasco, cerveja gelada, histórias de Dodge e novos amigos!
    Se por acaso vier para SP, por favor nos avise!

    abs

    Edu Martins

    ResponderExcluir
  23. Opa !!! o Cuti vai vir pra SP ???? kkkkkkk !!! a gente fala aqui e ja vira verdade na boca do povo !!! hahaha !!! Se vier pra SP tem que dar uma passada por Santo André !! Reduto de muito, mas muito dodge e dodgeiro mesmo !! Hoje por uma pesquisa feita pelo Badolato no site dele, os lugares que tem mais dodgeiros que acessam o blog é Santo André e Jundiaí !!! hehe !!

    ResponderExcluir
  24. Eduardo, não digo que não vou uma hora destas, mas quando... já é outro papo. Mas quando for, aviso.Abraço

    ResponderExcluir
  25. Cuti, se vier avise e venha com tempo! Com certeza terá muitos amigos te esperando por aqui! Faço questão que você dirija o meu Magnum, rssss.... !!! Grande abraço!

    Vital

    ResponderExcluir
  26. Vital, vai ser um grande prazer poder compartilhar da companhia de vocês, e também poder dar umas voltas neste Magnum sensacional
    Abração
    Cuti

    ResponderExcluir
  27. Boa noite Cuti,
    meus Parabéns pelo blog,
    também tenho o meu e sei que não é fácil manter atualizado e com histórias tão interessantes para o público.
    Leio e admiro todos os post.

    Grande abraço,
    Otávio F. M. Bussmann
    www.moparbussmann.blogspot.com

    ResponderExcluir
  28. Bom dia Otávio. Obrigado por elogiar o blog, seguidamente entro no teu também. Tens razão, não é nada fácil atualizar o blog com história boas. Aja memória para isto
    Abração
    Cuti

    ResponderExcluir
  29. Bora Cuti atualizar o Blog, hehe....
    Fui de Dodge a Taquara hoje, não ouviu um ronco hoje pelas 11 da manhã na rua do Rodolfo, passei ali e vi a C10 estacionada.
    Abraços

    ResponderExcluir
  30. Cuti, podemos dizer que o blog é um sucesso de público e críticas, se um dia virar livro, o que eu torço muito, será um Best Seller! Acho que muito do sucesso é devido ao fato de que a forma que vc escreve nos faz ter a impressão de que estávamos junto vivenciando as histórias. vc não deve sentir-se pressionado ao escrever os posts, acho que o fato de eles serem tão bons é justamente por vc escrever o que lembra e sente sem ficar pensando se vai agradar ou não, afinal de contas é impossível agradar a todos. OBrigado pelas histórias....
    um grande abraço a vc e aos Dodgeiros de Santo André!

    ResponderExcluir
  31. Jacson. Escutei o ronco do carro sim!!! Fui dar uma espiada pela janela e não vi mais nada. Achei que fosse outro amigo meu que tem um Dart, toda vez que ele passa na frente do escritório, passa fedendo!! Abração
    Cuti


    Max. Obrigado pelas palavras!! Quanto as atualizações do blog, estas coberto de razão. Não adianta jogar um monte de palavras sem conteudo algum, o bacana de tudo isto é a história. No começo não me preocupava muito, mas agora, fico por dias tentando relembrar só coisas diferentes que me aconteceram. E a culpa toda é de vocês!! Mas Best Seller não seria demais??Hehehe
    Abração
    Cuti

    ResponderExcluir
  32. Como não seria um best seller ???? Cuti, certeza que se voce lança um livro com as histórias do blog + fotos + outras histórias ia ser um sucesso !! Muita gente tem pais, tios, avos que ainda não estão familiarizados com esse "tar de computadô" e gostariam de poder ler todas estas histórias fantásticas que estão no blog !!! Fora que vc pode levar de baixo do braço pra qualquer lugar !!!
    Opa ! tem mais gente de Santo André por aqui ??? Achei que conhecia tudo que era dodgeiro aqui da minha terra mas parece que ainda falta gente !!! o amigo Max ai em cima eu não conheço !!! kkkkk !!!

    Abraço

    Edu Coxinha

    ResponderExcluir
  33. Edu Coxinha. É , vou pensar a respeito. De qualquer forma agradeço todo o incentivo de vocês. A propósito, tem dodge em Santo André hein? coisa de louco! Abração
    Cuti

    ResponderExcluir
  34. Impressionante como os nossos gostos apuram os nossos sentidos, hehe. Semana que vem, se for fazer audiencia de Dodge, e der um tempinho, eu ver a guerrera ali, dou uma "pisadinha", dae para a gente bater um papo.

    ResponderExcluir
  35. A gente tem um encontro aqui na faculdade onde estudei, chama-se "Fundação Santo André", os ultimos encontros foram meio fracos porque eu não pude participar, mas normalmente quando eu to disponivel pra ir e agito o pessoal das listas de email de dodge do yahoo que faço parte a gente consegue juntar uma boa quantidade de dodges por la !! vem uma galera de São Paulo prestigiar o encontro também, uma vez conseguimos reunir 28 dodges nesse encontro !!! Não sei se voce tem orkut, mas se tiver, me adiciona "http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=9925325823451928092" la vc vai encontrar todas as fotos de todos os encontros da Fundação que eu estive até hoje, tem foto pra caramba, fora as do Mopar e churrascos da galera por aqui.

    Abraço

    Edu

    ResponderExcluir
  36. Jacson, se tiver tempo vem mesmo. Abraço


    Edu Coxinha. Bá cara, 28 dodges juntos!! Eu mal e porcamente mantenho o blog! orkut não sei nem o que é.Hehehehe. Não tenho muita paciência para ficar na frente do computador. Abraço

    ResponderExcluir
  37. é isso mesmo Cuti, segue o link pros meus albuns do picasa, ai ta todo meu acervo de fotos de dodges de quando eu ainda não tinha o meu e ficava sonhando e procurando foto na net e guardando !! e tem 1 album das fotos desse encontro da FSA que juntamos todos esses carros e de um churrasco da nossa turma aqui ! Divirta-se ! hehe !!

    https://picasaweb.google.com/gransedan1977

    Abraço

    Edu Coxinha

    ResponderExcluir
  38. Fala Edu Coxinha, assim que der vou tentar acessar. Abração

    ResponderExcluir
  39. Grande Edu Coxinha! olhei os teus álbuns de fotos na web e para minha surpresa já trocamos ideia no encontro da FSA. INclusive fui no da semana passada, mas cheguei meio tarde. Não sei se vc esta lembrado, mas o meu Dodge é um dart coupe branco com vinil e placa preta. Grande abraço !

    ResponderExcluir
  40. estudei em taquara 5 anos no iacs,84,85,86,87 andava de biciross o primeiro cara a dar aéreo no GEU um clube que tinha uma pista de skate,uma vez na AV sete de setembro dia 7 de setembro no desfile e aniversario de taquara 100 anos eu saltei por cima de 11 pessoas deitadas sem rampa,eu saltava uns 3 metros de fazia o table top,era tri encarnado decia aquela decida no centro a milhão,tempo bom,a churrascaria da foto eu lembro bem no domingo tinha saida do iacs eu ia almoçar la,to tentando lembrar de algum dodge e derepente conhecia o Cuti,eu tenho um dodge charger rt 78 automatico(to fazendo a mecanica e depois vou fazer a lata mas ando com ele direto so que estragou a balança do lado esquerdo mandei arrumar e tive que encomendar uma bucha e a balança ganhei uma zerada,eu ja tinha feito toda suspensao freio,ignição eletronica,4jet,coletror comando 278/278,coletor de escape q falta instalar,e os abfador que falta intalar) e tenho 2 doginho polara de 2 vou fazer um por causa de documento um 75 e outro 76 eu moro em tupanciretã,eai Cuti hora se encontramo num encontro de dodge,falou abraço

    ResponderExcluir
  41. Caro Douglas
    Então conheces bem a cidade, infelizmente não te conheci na época, mas vejo que aprontou bastante por aqui! Certa vez vendi uma bomba de gasolina para um senhor aí de Tupanciretã. Tu é natural daí? O colegio IACS é uma referencia, muitas pessoa de outras cidades estudaram nele
    Abração, e continua comentando no blog!! Obrigado
    Cuti

    ResponderExcluir
  42. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  43. Douglas ,eu sou de tupanciretã mas moro tambem em cruz alta,o IACS foi a melhor época da minha vida,em tupã eu conheci uns 3 dodge só,um charger 79 azul 2 cores,e um dart azul metalico claro acho que era 73 e um charger 74,estava numa garage fui falar pra um piá o dono do dodge devia uma grana pro pai desse piá, pegaram o dodge,era prata,e depois trocou por um gol helicóptero,até hoje o loko é de cara,fica brabo quando fala e pior que o loko é mecanico,foi pra um desses dodge que tu vendeu a bomba de gasolina,mas em cruz alta tem um SR de idade dogeiro,tem um dart 75 branco com a frente do charger e caixa,que é uma figura,e um dodge sem motor numa garage em cruz alta que não deixam olhar,só que ta sem motor,parece que é um dart mas foi trocado o teto colocaram de charger e disque a cor é prata,e o meu charger 78 que eu comprei de ijui,muito legal teu blog Cuti,falou abraço

    6 de abril de 2011 19:58

    ResponderExcluir
  44. Douglas
    Provavelmente esta bomba que vendi foi para um destes três dodges conhecidos teus. Como tem historias malucas com dodge, né?? Não sabem de algum para venda aí? Obrigado pelo comentario
    Abraço
    Cuti

    ResponderExcluir
  45. pior que não,mas esse dodge que esta sem motor numa garage e a irmã do dono não deixa olhar me falou em 80 mil esse nem pelos poderes
    Greyskull

    tem uma dodge wangon parece que 6cil,era do seu Nicanor q é falecido é tipo Dodge Royal Lancer,disque ta numa garage bem cuidado fazem funcionar quando eu for a tupã vou la olhar

    ResponderExcluir
  46. Douglas
    O problema todo é que algumas pessoas piraram com os preços dos antigos, supervalorizaram demais carros ruins, mas fazer o que? Este senhor Nicanor eu também vendi peças para a Dodge dele, foi uma bomba d'agua. Fazem muitos anos. Ve se consegue uma foto desta Dodge
    Abração
    Cuti

    ResponderExcluir
  47. Fico imaginando a cena! No banco da frente dois sentados, e atras, como não tinha o vidro vigia, tres sentados em cima da tampa do porta malas, com as pernas e pés em cima do banco traseiro, com as mãos batendo no teto.
    KKK Não consigo parar de rir KKKKK.

    ResponderExcluir
  48. E quanto ao livro, pra mim é um Best Seller com certeza. E pelo menos 1 eu compro com certeza.
    Parabéns e obrigado novamente pela iniciativa, pelo trabalhão e pelo carinho que você está tendo com o blog.

    ResponderExcluir
  49. Eliézer
    Relembrando de certas coisas como esta, realmente , hoje, é bem engraçado. Na época nós queriamos impressionar.
    Quanto ao livro, que sabe né?
    Eu é que agradeço os comentários. Abração
    Cuti

    ResponderExcluir
  50. eai mestre Cuti ja fui 2 vezes em tupã e não encontrei nimguem em casa pra tirar as fotos da dodge wangon,mas no que eu conseguir te aviso

    ResponderExcluir
  51. Fala Douglas
    Não te preocupas, quando conseguires me manda. Lembro do negocio feito com o sr. Nicanor.
    Abração

    ResponderExcluir